terça-feira, 25 de novembro de 2008

Pasquale De Chirico



O Escultor da Bahia, o Construtor de Estátuas, assim foi chamado o Pasquale De Chirico , pelo crítico de artes, Carlos Chiacchio, por ocasião de sua morte, ocorrida em Salvador no dia 31.03.1943. Pasquale foi, até hoje, o escultor que mais obras realizou e plantou, individualmente, e não superado , em praças públicas . Os monumentos mais conhecidos de Salvador, são, indubitavelmente , de sua autoria. Pasquale nasceu numa pequena cidade italiana chamada Venosa ( não confundir com Veneza ) , perto de Napoli , de uma família de artistas, em 24 de maio de 1873.O dom da arte nasceu com ele. Oriundo de uma família de artistas, com 20 anos, após haver feito cursos em Napoli e Roma , transferiu-se para São Paulo onde abriu uma pequena fundição, talvez a primeira do Brasil . Por lá, esteve por 10 anos, casou-se , e, a convite do Engenheiro Theodoro Sampaio, transferiu-se para Salvador, já com duas filhas . Os primeiros trabalhos do Pasquale foram realizados na antiga Escola de Medicina da Bahia que havia sofrido um grande incêndio. As imagens que contornam o anfiteatro da escola, todas elas moldadas em argamassa de cimento com armação interna de ferro , são as primeiras obras de Pasquale realizadas na Bahia. Infelizmente, a falta de manutenção provocou, como não poderia deixar de ser, o deterioramento das obras de arte , que ora se procura recuperar produzindo cópias a ritmo de tartaruga, por falta de verbas , doença crônica que já vem de longe. As imagens já referidas, deveriam ter sido fundidas em bronze, mas não o foram exatamente por motivo de falta de grana. Como se vê, a estória é antiga...Na verdade, infelizmente, não se sabe o que vai acontecer com elas. Aos poucos, os trabalhos originais do artista vão desaparecendo e sendo transfigurados nos seus detalhes anatômicos mais preciosos. Pois bem, Pasquale viveu quarenta anos em Salvador e, durante este tempo, produziu grandes monumentos que embelezam Salvador e contam um pouco da história do Brasil. Pela ordem , os mais importantes : a estátua do Barão do Rio Branco, inaugurada na Praça de São Pedro em 1919; a estátua de Jesus Salvador, que está localizada no morro do Ypiranga e que foi inaugurada em 1920 ( é mais antiga que o Cristo Redentor do Rio de Janeiro ) ; o busto do General Labatut, de 1923 ; a estátua à Castro Alves, um dos mais conhecidos cartões postais da cidade , o Poeta dos Escravos, inaugurada em 1924; o monumento a Almeida Couto , inaugurado em 1924; o conjunto em homenagem ao Barão de Macaúbas , também de 1924 ; o busto do Dr Julio David ( e o seu mausoléu ) que é de 1926 ; o belo conjunto escultórico em homenagem ao Visconde de Cayru na parte baixa da cidade, na praça que tem o seu próprio nome , inaugurado já em 1934; busto de Rui Barbosa, na cidade de Alagoinha, em 1935 ; o busto ao Irmão Joaquim , já em 1936 ; o busto ao catequisador Pe. Manoel da Nóbrega ( com detalhe ) que andou mudando de lugar pela cidade até encontrar um pouso definitivo ( por enquanto );a estátua ao educador Góes Calmon que é um trabalho de 1938 : quatro trabalhos no Palácio Rio Branco cujas datas não foram definidas ; o remorso, uma obra famosa da qual existem duas cópias originais : uma em frente à Escola de Belas Artes da Universidade Federal da Bahia e outra no Museu de Artes da Bahia. Enfim, a lista é infindável, mas não dá para esquecer o monumento ao Conde dos Arcos, inaugurado em 1932, na praça que tem o seu nome . Já com o que está relacionado, constatamos que o velho trabalhou demais nos quarenta anos em que aqui morou. Desde a sua chegada, começou a ensinar na antiga Escola de Belas Artes. No início , como professor contratado, até a sua efetivação em 1932. Exerceu o cargo de Professor Titular até agosto de 1942 , ou seja, até pouco antes da sua morte, em 1943.
É imensa a lista de obras de autoria do Prof. Pasquale que vivia para a sua arte. Deixou formados bons profissionais, entre eles o Prof. Ismael de Barros , também escultor , o seu aluno mais dedicado. A maior dificuldade para a realização de um levantamento mais preciso, ficou por conta da falta de registros, uma preocupação que não existia na época, e na péssima conservação de jornais e revistas apodrecidos pelo tempo e também semi-destruídos pela falta de maiores cuidados...
Claro que há muitos trabalhos que não puderam ser pinçados. Quadros , desenhos , maquetes , como é o caso do monumento ao Glorioso Riu Barbosa. Pasquale venceu a concorrência para a execução do monumento em homenagem ao Águia de Haya, mas o trabalho não foi realizado, por falta de verba...( a doença já vem de longe !... ) No entanto, a maquete ganhadora do concurso existe e está exatamente na Casa de Rui Barbosa ( Centro Histórico de Salvador ). Claro que uma maquete em gesso não é um trabalho minucioso a ponto de exibir detalhes . A grosso modo, é uma idéia... Há busto, muitos bustos de personalidades espalhados pela cidade, que não seriam possíveis de ser relaciondosr neste pequeno trabalho. Um dos principais bustos é justamente o de Theodoro Sampaio que se encontra no Instituto Geográfico e Histórico da Bahia.
A universidade Federal da Bahia, presta uma homenagem ao velho mestre, mantendo a sala onde os alunos de Belas Artes atuais, escultura, recebem as suas aulas, sob o nome de “ Salão Pasquale De Chirico “ . Sarnelli – 24.11.2008

4 comentários:

Ascléppios disse...

Realmente Sr. Sarnelli Pasquale De Chirico foi e é um dos maiores escultores com profissão estabelecida aqui na Bahia, senão o maior deles, haja vista sua obra notável e pública espalhada pelos 4cantos da Bahia, de Salvador, e em caráter especialíssimo:

1-) a estátua do Barão do Rio Branco, inaugurada na Praça de São Pedro em 1919;

2-) a estátua de Jesus Salvador, que está localizada no morro do Ypiranga e que foi inaugurada em 1920 (é mais antiga que o Cristo Redentor do Rio de Janeiro);

3-) o busto do General Labatut, de 1923;

4-) a estátua à Castro Alves, um dos mais conhecidos cartões postais da cidade, o Poeta dos Escravos, inaugurada em 1924;

5-) o monumento a Almeida Couto, inaugurado em 1924; o conjunto em homenagem ao Barão de Macaúbas, também de 1924; e por aí vai...

Congratulo-me com V.Sa. a reafirmar que não existe, com tamanho esplendor e fulgência, um escultor com obras eminentemente públicas e notórias, a disposição de toda a população brasileira e mundial aqui em Salvador.

Que o diga, se assim o pudesse, o grande poeta Castro Alves!

Ascléppios disse...

Realmente Sr. Sarnelli,

Pasquale De Chirico foi e é um dos maiores escultores com profissão estabelecida aqui na Bahia, senão o maior deles, haja vista sua obra notável e pública espalhada pelos 4cantos da Bahia, de Salvador, e em caráter especialíssimo:

1-) a estátua do Barão do Rio Branco, inaugurada na Praça de São Pedro em 1919;

2-) a estátua de Jesus Salvador, que está localizada no morro do Ypiranga e que foi inaugurada em 1920 (é mais antiga que o Cristo Redentor do Rio de Janeiro);

3-) o busto do General Labatut, de 1923;

4-) a estátua à Castro Alves, um dos mais conhecidos cartões postais da cidade, o Poeta dos Escravos, inaugurada em 1924;

5-) o monumento a Almeida Couto, inaugurado em 1924; o conjunto em homenagem ao Barão de Macaúbas, também de 1924; e por aí vai...

Congratulo-me com V.Sa. a reafirmar que não existe, com tamanho esplendor e fulgência, um escultor com obras eminentemente públicas e notórias, a disposição de toda a população brasileira e mundial aqui em Salvador.

Que o diga, se assim o pudesse, o grande poeta Castro Alves!

Ascléppios disse...

Realmente Sr. Sarnelli,

Pasquale De Chirico foi e é um dos maiores escultores com profissão estabelecida aqui na Bahia, senão o maior deles, haja vista sua obra notável e pública espalhada pelos 4cantos da Bahia, de Salvador, e em caráter especialíssimo:

1-) a estátua do Barão do Rio Branco, inaugurada na Praça de São Pedro em 1919;

2-) a estátua de Jesus Salvador, que está localizada no morro do Ypiranga e que foi inaugurada em 1920 (é mais antiga que o Cristo Redentor do Rio de Janeiro);

3-) o busto do General Labatut, de 1923;

4-) a estátua à Castro Alves, um dos mais conhecidos cartões postais da cidade, o Poeta dos Escravos, inaugurada em 1924;

5-) o monumento a Almeida Couto, inaugurado em 1924; o conjunto em homenagem ao Barão de Macaúbas, também de 1924; e por aí vai...

Congratulo-me com V.Sa. a reafirmar que não existe, com tamanho esplendor e fulgência, um escultor com obras eminentemente públicas e notórias, a disposição de toda a população brasileira e mundial aqui em Salvador.

Que o diga, se assim o pudesse, o grande poeta Castro Alves!

Ascléppios disse...

Realmente Sr. Sarnelli,

Pasquale De Chirico foi e é um dos maiores escultores com profissão estabelecida aqui na Bahia,
senão o maior deles, haja vista sua obra notável e pública espalhada pelos 4 cantos da Bahia, de Salvador,
e em caráter especialíssimo:

1-) A estátua do Barão do Rio Branco, inaugurada na Praça de São Pedro em 1919;
2-) A estátua de Jesus Salvador, que está localizada no morro do Ypiranga e que foi inaugurada em 1920 (é mais antiga que o Cristo Redentor do Rio de Janeiro);
3-) O busto do General Labatut, de 1923;
4-) A estátua à Castro Alves, um dos mais conhecidos cartões postais da cidade de Salvador, do Brasil e do Mundo, o Poeta dos Escravos, inaugurada em 1924;
5-) O monumento a Almeida Couto, inaugurado em 1924; o conjunto em homenagem ao Barão de Macaúbas, também de 1924;

E por aí vai...

Congratulo-me com V.Sa. a reafirmar que não existe, com tamanho esplendor e fulgência, um escultor com obras eminentemente
públicas e notórias, a disposição de toda a população brasileira e mundial aqui em Salvador.

Que o diga, se assim o pudesse, o grande poeta Castro Alves!