terça-feira, 15 de dezembro de 2009

Feliz Natal e Próspero Ano Novo


Todos os anos dizemos que eles passam muito depressa e 2009 não foi exceção .Já começamos o mês de dezembro e dentro de poucos dias estaremos deixando-o para trás e recomeçando, um outro, que nos trará um monte de problemas políticos, preocupações e também alegrias , com certeza. Mas será preciso muito trabalho e a união e colaboração de todos. Faremos o nosso melhor e continuaremos juntos na nossa labuta de denunciar os fatos que merecerão reparos para dar a nossa contribuição e melhorar, na medida do possível, a qualidade de vida dos moradores do bairro .O Blog do Sarnelli continuará atento e denunciando situações que mereçam a atenção dos responsáveis pela cidade.
É hora de agradecer a todos aqueles que nos apoiaram com atos e palavras de incentivo e desejar a todos um bom Natal e um próspero Ano Novo. Fazendo um pouco diferente, esta mensagem do Blog do Sarnelli não apresenta o Papai Noel, o bom velhinho que as crianças adoram , e sim o verdadeiro motivo do Natal. Um presepinho muito simples, mas que tem o essencial.

Bom Natal e Feliz 2010 para todos
Sarnelli
Dezembro de 2009

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

Passeio de feriado no Farol da Barra


Passeio de feriado ao Farol da Barra


Começamos a semana com um domingo e logo a seguir , uma segunda , festejando o “ dia dos comerciários “ ... Foi assim que, quase tudo, ficou fechado na cidade e, para melar ainda mais a coisa, o transporte coletivo diminuiu...Eu sabia que não tinha para onde ir no meu passeio matinal de todos os dias, mas, mesmo assim, me preparei e saí...O primeiro ônibus que me apareceu , me deixou na porta da Perini, me parece que a única delicatessen aberta na cidade, onde tomei um café e segui em outro busão para a Barra , indo descer no farol...

O dia tinha amanhecido sob promessa de fortes ventos , muita chuva e, até mesmo , de temporal ,mas , apenas o ceu estava encoberto e, pelo menos até durante uma boa parte da tarde , assim continuou , mas , sem chuva . Já pingou uns pingos, mas S.Pedro resolveu deixar para mais tarde, talvez !...

Voltando ao largo do farol da Barra . Uma bagunça completa por efeito do estacionamento de ônibus e vans de turismo , estacionados de qualquer jeito e de qualquer maneira, pois, na verdade, ali não há mesmo nem espaço nem estacionamento apropriados para veículos daqueles portes.

Mas havia muitos turistas circulando na área, como sempre, tirando fotos e mais fotos e eu até tirei algumas para uns pares de pessoas . Sabem aqueles pares de pessoas quando uma tira uma foto da outra e a outra foto da outra ? Então, para que as duas pessoas possam aparecer no mesmo cenário , eu sempre me ofereço e procuro fazer o melhor possível enriquecendo as fotos com detalhes. Já cansei de ver turistas fotografando o mar e a linha do horizonte...que fotos mas sem graça !Belas fotos de recordação de Salvador !

Mas o espaço , hoje, estava ocupado por dezenas e dezenas de turistas, me pareceu que a maior parte de brasileiros. Como não podia deixar de ser, os vendedores e os capoeiristas estavam no pedaço e o ambiente parecia irradiar uma certa alegria . Havia um festival de cores . Vendedores de cangas, de chapéus, lembranças da Bahia , quadros , É normal eles pedirem para as pessoas sorrirem, dizendo : “ sorria, você está na Bahia ! “ , assediando os turistas com muita insistência e sempre oferecendo, de graça, uma fitinha colorida do Senhor do Bonfim, que amarram nos pulsos das pessoas... Não podiam faltar as baianas do acarajé e vendedores de outros quitutes e até mesmo de refrigerantes e água mineral. Naquele momento, 10 da manhã, a temperatura estava em 27°. Durante o tempo em que estive lá, sentei-me num banco , olhava os pombos e, ao mesmo tempo me deliciava com a visão das pessoas , do farol, do forte de Santa Maria, da imponência do Edifício Oceania (bem em frente ao faro )l, e mais o panorama que, de lá , passava pelo morro e pela estátua do Cristo e alcançava o Rio Vermelho com a imagem do Hotel Pestana na ponta, parecendo estar entrando no oceano...

Eu também saquei algumas fotos procurando ângulos diferentes . Resolvi ir um pouco mais adiante, peguei um ônibus, fui até o Morro do Cristo , onde saquei outras e, depois tomei o caminho de casa . O ônibus seguia pela orla dando para apreciar um mar azul e calmo , com pequenas ondas preguiçosas e alguns saveiros motorizados que iam em diversas direções. Um navio cinzento, da marinha ,seguia rumo norte e , aos poucos , foi desaparecendo na linha do horizonte ... Desci no meu ponto de sempre, apreciei a paisagem da enseada da praia de Santana com os seus barcos de pesca balançando suavemente sobre as suas águas calmas , que nem sempre são assim.

A maré estava a meia altura, mas e o céu continuava encoberto.

Cheguei na hora do almoço e houve, então, a feliz combinação de encontrar uma mesa com um belo caruru feito pela minha mulher que é especialista e alguém que chegou, simplesmente , faminto ! Um pouco de pimenta, e pronto , almoço quente , como dizem que o baiano adora...Mas eu reclamei da pimenta , que não tinha personalidade alguma. Culpa da Teté...

Sarnelli 26.10.2009

sexta-feira, 18 de setembro de 2009

É a noite que está chegando !





Fim de tarde no Rio Vermelho...


A tarde acabando, o sol se escondendo , seguindo em direção ao outro lado do mundo, deixando a noite chegar...


Este foi o pôr do sol de hoje, visto do bairro mais boêmio de Salvador.

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

Boca no trombone - O que é que é isso ?




Esta foto nada tem a ver com o texto a seguir. Está aqui apenas a título ilustrativo.





Segunda-feira, 14 de Setembro de 2009

Urge uma mobilização e boca no trombone!!!!!

Por Ana Almeida *
Enquanto as sociedades ditas de “primeiro mundo” preservam seu patrimônio cultural e arquitetônico, a modernidade ou pós-modernidade tupiniquim aniquila o seu!!!!! Arquitetos e urbanistas (embora seja essa minha formação tive o bom senso de beber de outras fontes como as Ciências Sociais) entendem-se como interventores espaciais, habilitados a encontrar soluções, na maioria das vezes prá lá de estrambóticas. O poder público não fica atrás!!!!! A visão modernista que o impregna encontra suas raízes no interesse capitalista dos novos ricos baianos, ávidos por riqueza, poder e status, os três pilares da contemporaneidade, sobre os quais se erigem a ética capitalista moderna, hipócrita, mesquinha e fraudulenta.

Tudo começa com a adoção de partidos equivocados, primeiro na arquitetura residencial, se estende para a empresarial e comercial e por fim abocanha tudo!!! A reinvenção capitalista que demandava novos códigos de morar e trabalhar, adota como máxima arquitetônica da modernidade em certo período, o uso de iluminação e ventilação artificiais, numa cidade, Salvador, famosa por sua luminosidade e boa ventilação!!!!
Caixotes e mais caixotes (alguns muito coloridos!!!!) foram e continuam sendo construídos dentro dessa lógica. Atualmente a Epidemiologia estuda síndromes decorrentes dos denominados edifícios doentes, isto é, doenças decorrentes da permanência prolongada em ambientes artificialmente ventilados e iluminados.

Surgem os condomínios verticais, se sofisticam e passam a oferecer uma variedade cada vez maior de itens para lazer e que agregam status. As áreas privativas entretanto, diminuem. Uma mudança radical no Código de obras de Salvador, na década de 80, elimina as áreas mínimas dos cômodos e as torna proporcional ao número de habitantes da residência. O resultado é o encolhimento dos espaços privados com quartos, salas, cozinhas, etc. cada vez menores, mais apertados e paralelamente aumento do leque de opções, dirigindo o olhar do comprador/morador para as áreas coletivas de lazer.

O Pelourinho, tão festejado, não passou de maquiagem. As pessoas que ali residiam alijadas do processo de “restauração”, foram transferidas para bem longe, onde não pudessem ser vistas!!!

A população hoje, entretanto, ainda que amadora no processo participativo, tem instrumentos e estratégias que lhe permite intervir, gritar espernear, embora muitas vezes esses gritos ecoem no vazio.

É importante que se organize um movimento para “Salvar Salvador”. A cidade é nossa, pertence sobretudo aos cidadãos, a despeito dos interesses de distintos segmento sociais. Cidade sem cidadãos não passa de um amontoado de construções sem destino, sem uso sem razão. Portanto, a cidade é primeiro de tudo uma abstração, concretizada pela ação e pelo vai e vem de seus cidadãos.

Ana Almeida é professora Universitária

quarta-feira, 2 de setembro de 2009

Cigarro, um futuro duvidoso !




Olhem com atenção as embalagens de cigarros !



Cigarro, um futuro duvidoso

No dia 14 de abril deste ano eu coloquei no ar um artigo com o mesmo título falando mal do cigarro.

Passado tanto tempo, ontem , recebi um comentário , certamente enviado por algum desocupado pouco polido, que, logicamente , recebeu a minha desaprovação e por isto mesmo teve a sua postagem recusada .

No entanto , o assunto continua em pauta , como estamos vendo .

Os fumantes estão sendo pressionados pela própria Lei

e espero mesmo que muitos deles, milhares , sentindo-se incomodados, terminem por deixar o uso daquela droga que mata lentamente, sem pressa alguma ...

A postagem de hoje, vem a propósito de um amigo que encontrei no domingo último, um jovem que está perto dos 50 anos , mas com a aparência de algo mais que 60 !

Quando o encontrei, estava com um cigarro aceso entre os dedos e eu nem liguei,mas, durante o nosso papo rápido, ele me contou que já esteve tuberculoso por duas vezes, nas quais se curou e que estava com a sua capacidade pulmonar reduzida a 30% do normal, impossibilitado de fazer uma série de coisas banais e de , nem mesmo, em certos momentos, andar ...Tudo isto, produzido por um rolinho de papel com folhas de tabaco secas e uma brasa na ponta !

É isto que a droga do cigarro faz aos fumantes .

Lentamente, torna os indivíduos dependentes , doentes , incapazes e inúteis , condenando-os à uma vida sem qualidade alguma...durante quanto tempo ? Como ter a alegria de viver , de ver as coisas belas da vida , se eles mesmos são uma tragédia ? Dependentes de terceiros, do auxílio doença ou mesmo aposentados precocemente com poucas chances de uma sobrevivência longa , sem poder dirigir um carro, andar numa bicicleta, ir à praia e dar um mergulho , e outras coisa mais , mesmo que banais ? Isto é vida ?

Até quando ?... Pois é , minha gente , e ainda tem indivíduos como aquele que mandou um comentário imbecil se referindo à minha postagem. Renovo os mesmos argumentos e o alerta para os fumantes inveterados. É sempre hora de parar, enquanto é tempo... OU melhor: sempre é tempo de parar ... Infelizmente, o meu amigo não pode mais... Por sinal, tenho , pelo menos , três casos de tabagismo na família, dois deles falecidos precocemente , mas todos eles com muito sofrimento e final triste !

Sarnelli 03.09.2009


sábado, 22 de agosto de 2009


Estátua do Christo Salvador - no Morro do Christo, na Barra - ao lado da av. Oceânica.



Estátua do Christo, na Barra



Um leitor que não se identificou, colocou o seguinte comentário na minha postagem :


Esta imagem sofreu depredação não sei exatamente em que ano, pois se formos reparar direito, ela está sem o cajado, caso alguém possua esta informação serei grato. “


É claro que a intervenção do amigo me causou a maior curiosidade, o que me fez sair atrás , em vista do inesperado da questão .


Depois de muitas voltas, consegui localizar no Instituto Histórico e Geográfico da Bahia a edição do ano 9, nº 2.958 do jornal “ATARDE” , de Salvador, do dia 24.12.1920 . Isto mesmo: 1920 ! Do dia da inauguração !...


Na primeira página, embora sem grande destaque, porque havia muita matéria, está a fotografia do Christo Salvador sobre a sua primeira base, sobre o morro que passou a ser chamado de MONTE DE JESUS e depois de MONTE DO CHRISTO , hoje ocupado pelo Comando da Aeronáutica ( Prefeitura da Aeronáutica ) junto a Av. Oceânica, que, na época, era conhecida como Avenida Getúlio Vargas.


Pois é...na fotografia estampada, que foi clicada no dia da inauguração, e , apesar de passados mais de 90 anos, de os jornais não terem a qualidade dos de hoje, a foto é clara e mostra que já na inauguração o Christo não se apoiava em cajado. Em confirmação disso, eu mesmo, ainda tenho uma página de uma revista da época , com a foto da imagem como foi inaugurada. Tomei o cuidado de pedir à algumas pessoas para conferirem e me confirmaram a inexistência do cajado que, de maneira alguma aparecia na foto.


Ainda mais, para ter maior certeza, fui verificar pessoalmente , ontem se havia a possibilidade de aquela imagem, ter portado, um dia um cajado. A posição da mão direita não deixa dúvida de que ela nunca segurou um cajado.


Mais adiante, com o título : No monte de Jesus.

“ Lá está o Christo de mármore no seu rústico socalco “.


Às 14 horas de hoje, no monte que tomou desse facto a sua nova denominação , será inaugurado solemnemente a estátua em mármore de N.S.J.Christo, oferecida à cidade pelo Cons.Botelho Benjamim , do Tribunal de Justiça.


Na edição já citada , o texto ( parcial ) ... Estiveram presentes autoridades civis, militares e grande número de pessoas de representação social. Durante o resto da tarde e à noite , fez-se contínua romaria ao “ Monte de Jesus” , em vista a estátua de Jesus Christo, em cujo sopé foi celebrada. Às 24 horas, missa de Natal.


Bem, agora, o finalmente !


A minha certeza absoluta de que nunca houve o cajado, está no fato de que, constantemente, ia passear com o meu avô materno no primitivo morro , para ele rever a obra . É a única obra dele, que conheço em mármore. Esculpia para o bronze, e desenhava...


Íamos ver o Christo e de lá o mar , curtindo aquele ventinho marinho que é constante aqui em Salvador naquela área . Devia ter uns 10 anos ( 78 , hoje ) quando subíamos aquele morro , transportados por um calhambeque da época ( naturalmente ), nosso passeio predileto , e nunca vi um cajado na mão daquela imagem.


Convivi com ele até a minha idade dos 12 anos e muitas coisas guardei na memória , ouvia aquelas conversas que crianças não dão importância , mas quase tudo já passei para o papel. Registros mesmo, não havia a preocupação de realizá-los . Para que ?O pessoal não se preocupava com estas coisas...

Bartolo Sarnelli

21.08.2009


terça-feira, 7 de julho de 2009

Pessoas da terceira idade em transportes coletivos

Os idosos e a gratuidade nos ônibus urbanos

Uma das vantagens que as pessoas maiores de 65 anos , conseguiram, que me parece ser a única , é o DIREITO a se utilizarem dos transportes coletivos , por enquanto, apenas dos municipais e no perímetro urbano, é , viajarem sem pagar as passagens, entrando pela porta da frente, para não alterar a contagem da catraca . Até aí, tudo bem. Melhor do que nada , alguma coisa já é bom. Aqui em Salvador, existia uma Lei municipal e a Prefeitura fornecia um “ Cartão do idoso “ que deveria ser apresentado ao motorista. Uma Lei federal atropelou a municipal criando a obrigatoriedade da apresentação de qualquer documento com fotografia e o benefício vale em todos o território nacional , bem entendido, nos perímetros urbanos. Feita a Lei, cumpra-se, não é mesmo ?

Mas tem uma quantidade de motoristas que não vêm com bons olhos a presença dos passageiros de idade mais avançada. Ressalvando, naturalmente, aqueles que recebem as pessoas até com um sorriso nos lábios e têm , inclusive , a alguns cuidados . Contrastam com o comportamento de outros que se incomodam com essa classe de passageiros. Na verdade, como a população está envelhecendo, eles são bastantes , circulando pela cidade.

Há motoristas que se comprazem em deixar idosos nos pontos e passam diretos, mesmo tendo visto que ele pediram a parada . O idoso consegue embarcar quando há passageiros que descem no ponto e então dá para aproveitar a parada . Comportamento inadequado de alguns motoristas que até riem da proeza ! Esses elementos se esquecem que, se tiverem sorte, um dia chegarão lá...

E o que lhes importa se a empresa está ou não recebendo o valor da passagem ? Se esquecem de que ele está considerado na planilha de custo que estabelece o valor a cobrar dos usuários do serviço ?Além do mais, o assunto é problema, se for, da empresa proprietária dos transportes. Eles tem mais é que atender as pessoas de idade avançada como manda a Lei. É uma obrigação, e não um favor.

Sarnelli

07.07.2009

Os idosos e a gratuidade nos ônibus urbanos

Uma das vantagens que as pessoas maiores de 65 anos , conseguiram, que me parece ser a única , é o DIREITO a se utilizarem dos transportes coletivos , por enquanto, apenas dos municipais e no perímetro urbano, é , viajarem sem pagar as passagens, entrando pela porta da frente, para não alterar a contagem da catraca . Até aí, tudo bem. Melhor do que nada , alguma coisa já é bom. Aqui em Salvador, existia uma Lei municipal e a Prefeitura fornecia um “ Cartão do idoso “ que deveria ser apresentado ao motorista. Uma Lei federal atropelou a municipal criando a obrigatoriedade da apresentação de qualquer documento com fotografia e o benefício vale em todos o território nacional , bem entendido, nos perímetros urbanos. Feita a Lei, cumpra-se, não é mesmo ?

Mas tem uma quantidade de motoristas que não vêm com bons olhos a presença dos passageiros de idade mais avançada. Ressalvando, naturalmente, aqueles que recebem as pessoas até com um sorriso nos lábios e têm , inclusive , a alguns cuidados . Contrastam com o comportamento de outros que se incomodam com essa classe de passageiros. Na verdade, como a população está envelhecendo, eles são bastantes , circulando pela cidade.

Há motoristas que se comprazem em deixar idosos nos pontos e passam diretos, mesmo tendo visto que ele pediram a parada . O idoso consegue embarcar quando há passageiros que descem no ponto e então dá para aproveitar a parada . Comportamento inadequado de alguns motoristas que até riem da proeza ! Esses elementos se esquecem que, se tiverem sorte, um dia chegarão lá...

E o que lhes importa se a empresa está ou não recebendo o valor da passagem ? Se esquecem de que ele está considerado na planilha de custo que estabelece o valor a cobrar dos usuários do serviço ?Além do mais, o assunto é problema, se for, da empresa proprietária dos transportes. Eles tem mais é que atender as pessoas de idade avançada como manda a Lei. É uma obrigação, e não um favor.

Sarnelli

07.07.2009


segunda-feira, 6 de julho de 2009

Antônio Frederico de Castro Alves





Castro Alves, o Poeta dos Escravos.



Nascido na Bahia , na Fazenda Cabaceiras em 14 de março de 1847, faleceu em Salvador em 6 de julho de 1871 com 24 anos apenas. O monumento em sua homenagem está localizado na praça que tem o seu próprio nome e foi realizado pelo escultor italiano Pasquale De Chirico .
Inaugurado em 6 de julho de 1923 . A praça Castro Alves é um dos melhores pontos da cidade para se assistir a um pôr do sol por trás da ilha de Itaparica , bem como para se apreciar a beleza e a grandeza da Baía de Todos os Santos.
O monumento foi realizado em bronze e granito e tem cerca de 9,5 mts. de altura. Junto com o Elevador Lacerda e o Farol da Barra , entre outros, é um dos mais conhecidos cartões postais de Salvador.

domingo, 5 de julho de 2009

o 2 de julho na Bahia







Monumento ao 2 de julho - Praça 2 de julho , também conhecida como o Campo grande, no centro de Salvador


2 de julho é dia de festa na Bahia inteira . A independência do Brasil em 7 de setembro de 1822 foi completada na Bahia com a expulsão da frota de Bandeira de Mello , o que aconteceu por força das lutas desenvolvidas em território baiano, fato que teve o seu episódio final em 2 de julho de 1823. O 2 de julho é a data Magna da Bahia , pois foi nela que se consolidou a independência do Brasil , após cerca de 10 meses do Grito do Ipiranga , já que os portugueses que teimavam em se manter por aqui, foram, finalmente, expulsos pelo povo baiano. O 2 de julho deveria ser um dia de celebração nacional.

O monumento ao 2 de julho,um dos mais importantes de Salvador, cuja foto ilustra este pequeno texto, é a homenagem da Bahia aos seus heróis. É uma obra do escultor italiano Com.Carlo Nicoli , inaugurado em 2 de julho de 1895 , foi realizado em bronze e mármore de Carrara e tem pouco menos de 26 metros de altura.

Sarnelli

05.07.2009







quinta-feira, 14 de maio de 2009

O carnaval de Salvador ...


Feudo que é feudo

Será que os ambientalistas e demais autoridades mais ou menos competentes avaliaram direitinho as agressões ambientais causadas e acumuladas na Barra e na Ondina desde quando o primeiro trio elétrico desceu a Ladeira da Barra?

Parece que ninguém se incomodou com o fato de os bairros da Barra e da Ondina terem sido transformados num feudo de Daniela Mercury, de Ivete Sangallo, de Bell Marques, de Claudia Leite, de Durval Lelis. São eles que mandam e desmandam, deitam e rolam, ganhando horrores - até do governo - , dando nada em troca, a não ser sujeira, xixi e cocô e muita poluição sonora.
Parece que ninguém se incomoda com o fato de haver três postos de gasolina - verdadeiras bombas - ao longo do circuito carnavalesco Barra-Ondina, sem falar da estupidez dos camarotes invadindo a praia

Parece que ninguém se incomoda com o fato de a Barra e a Ondina se transformarem por mais de um mês ( o período do carnaval, mais o tempo de armar camarotes e demais facilidades, até a desmontagem do circo ) num imenso favelão às custas de moradores e comerciantes expulsos de suas residências e de suas lojas.

Na verdade vos digo... Carnaval na Barra é "FEUDO"!

Reinhard Lackinger

candidato a Rei Momo 2010 com a plataforma: Circuito carnavalesco Barra-Ondina já para a Av da França!!!

O Reinhard tem toda razão. Eu já havia começado este comentário que , agora, junto ao dele . O carnaval em Salvador, já ultrapassou os limites aceitáveis . Transformou a Barra e Ondina num inferno e já não cabe mais no pedaço, precisa ir para outro local. Para onde ? É problema da Prefeitura . Ela que encontre o espaço , mas que deixe os moradores e comerciantes dos bairros em paz , seguirem com as suas vidas normalmente. Não é possível que moradores de diversos bairros tenham que sair deles , porque os tormentos do carnaval, que aqui dura uma semana ou mais, se forem feitas as contas , os expulsam de suas casas e seus apartamentos. E os comerciantes das áreas atingidas sofrem prejuízos, mas nem por isso são dispensados dos impostos municipais. É preciso repensar o carnaval de Salvador. Do jeito que está, não pode, não pode mesmo continuar !

Será que na Bahia só se pensa mesmo em carnaval ? Até mesmo nós, já estamos convencidos disso. Aliás, não é a toa que se diz que o ano aqui só começa depois do carnaval... Nem terminou o de 2009 , aconteceu a “ Ressaca do carnaval “ no dia 8 de março no Wet’n Wild , num programa do governo apelidado de “ Espicha o Verão “ e mais um desfile no dia 12 em homenagem aos 200 anos, sem trio elétrico e sem cordas ( ou seja: liberado para o público ) , para marcar a passagem pelo Carnaval da Bahia , do naturalista inglês Charles Darwin, o pai da teoria da evolução das espécies pela seleção natural, cujo bicentenário do nascimento foi comemorado em todo o mundo no último dia 12 de fevereiro . E ainda, depois, começam a pipocar por aí as famosas micaretas mas, esta já é outra história e acontece longe daqui...

Este meu comentário já estava escrito há algum tempo e a intenção era chegar exatamente onde o Reinhard chegou. O Carnaval baiano não está mais cabendo no espaço Barra/Ondina. É preciso achar uma solução para o problema que a festa criou para os comerciantes , moradores do bairro e também para a população em geral, que sofrem horrores durante mais de um mês ( o Reinhard fala de um mês apenas , mas eu digo que é muito mais ) com os preparativos, com a festa e a desmontagem das estruturas. O incômodo da movimentação de tantos veículos pesados, cargas, descargas, montagem e desmontagem de luminárias... etc,

Durante todo este tempo, os moradores da Barra e de Ondina que sofram calados e depois que se mudem nos dias da festa e a população , para usar um termo vindo de Brasília e em voga , que se lixe... Não, não é assim ! Em nome de seja lá o que for, é preciso respeitar a população e dar-lhe tranqüilidade, segurança e o respeito que merece .

É preciso, também, acabar com aquelas manifestações que a Prefeitura tem permitido que aconteçam no Porto e no Farol da Barra, que apenas levam para os locais, uma verdadeira multidão , um batalhão de vendedores ambulantes , que não fazem outra coisa que provocar uma enorme devastação., deixar tudo sujo e mal cheiroso...Que vão armar o palco lá no Aeroclube, onde há espaço suficiente ...!!!

O carnaval ? É problema da prefeitura. Porém, longe da Barra e de Ondina, claro !

Outra coisa : armar aquele palco monstruoso em frente ao Farol da Barra, escondendo aquele monumento precioso , é, no mínimo , um absurdo condenável , uma tremenda falta de bom senso !

Sarnelli , 13.05.2009


terça-feira, 14 de abril de 2009

Cigarro , um futuro duvidoso !

Posted by Picasa

E agora , o que é que eu faço ?


Esta é uma pergunta que os fumantes inveterados devem estar fazendo a si próprios , com a nova situação, com a guerra decretada contra os cigarros. Quem gosta de chupar a fumaça através daquele tubinho de papel recheado de tabaco , e milhares de porcarias, vai ter mesmo que se virar para curtir uma tragadinha ... Já não está havendo espaço para eles...Só poderão pitar nas ruas ou em locais ventilados. Os fumódromos, vão acabar , estão proibidos .!!!

Já tem tempo que este pessoal que passa as horas acordadas pendurado naquele canudinho de papel , produzindo fumaça e soprando-a nos rostos das pessoas , poluindo os ambientes , vem sendo olhado com cara feia pelas pessoas que se sentem incomodadas com o cheiro do fumo , com a fumaça , principalmente em ambientes fechados, que absorvem um mau cheiro insuportável para quem gosta de respirar ar puro. Ter , ao lado, uma fonte poluidora , é um sofrimento ! O pior é que os fumantes contestam os seus direitos e aí surgem os conflitos. Quais são os direitos dos fumantes e quais são aqueles do cidadão ou da cidadã que não fumam , que não querem e nem suportam a fumaça lançada no ar por um vizinho de mesa ou que esteja no mesmo ambiente ?

A discussão está no ar e na ordem do dia !

A investida contra o fumo vem de todos os lados. Da medicina, dos ambientalistas, do povo que se sente incomodado e agora do governo , por motivos econômicos. Forçado a baixar impostos em certas áreas , para se recuperar, aumenta aquele do cigarro que tem, na realidade, mais impostos, do que mesmo fumo para o fumante aspirar...

Ontem passei na banca de revistas na pracinha, aqui perto de casa e perguntei ao Romualdo, dono da banca de revista, os preços de alguns maços de cigarros . Aqui estão eles :

A marca Hollywood passou de 2,60 para 3,50
Derby 2,50 3,00
Carlton 3,40 4,50
Free 3,25 4,25
Plaza 2,60 3,25

Para quem só consome um maço ( geralmente o fumante consome dois , mas vamos ficar com um apenas ) por dia , considerando que a marca seja HOLLYWOOD , em 30 dias, estará transformando em fumaça a importância de R$ 115,50 e enchendo o seu pulmão de nicotina , com riscos seríssimos para a sua saúde. Quem não quiser pagar parte dos prejuízos da crise, tem, agora, duas opções : a primeira delas é não ligar para a saúde , pagar o aumento e continuar chupando a fumaça pelo canudinho de papel branco ; a segunda, é ter juízo , aproveitar a crise, se rebelar contra ela , dizer não ao governo e pegar a chance para deixar de lado o cigarro e recuperar o prejuízo na saúde , que ele já lhe deu... coisa que leva um certo tempo , mas deixa marcas !

O autor destas linhas fumou por cerca de 30 anos, mas teve a sorte e tempo, ainda, para parar no momento oportuno . Há quase 40 não toca num cigarro , se incomoda com um fumante ao seu lado e chegou à conclusão de que fumar é, simplesmente, burrice ! Cuide-se. Jogue o seu maço de cigarro na lata do lixo e goste de você mesmo . Com força de vontade, qualquer um supera a crise . É só querer ! Todos os fumantes sabem os riscos que correm ... Não faltam informações...

Sarnelli
14.04.2009

domingo, 15 de março de 2009

Motorista na terceira, ou quarta idade


O fusquinha é apenas ilustrativo



Motorista de terceira idade

É uma história difícil de acreditar, e engraçada, Aconteceu mesmo e foi numa tarde em que fui à minha dermatologista.

Era uma terça feira de um mês que não me lembro, do ano de 1998. Fui com o meu carro e, já no pátio , tive que esperar que uma senhora que havia chegado antes de mim , realizasse a sua manobra para colocar o seu carro de marcha ré , numa vaga regular. Coloca o carro em posição. Uma ré . Muito encostado. Vai bate ! Uma ida para a frente. Ajeita o volante e mais uma tentativa para trás . Não deu ! Começa tudo de novo...Novamente uma primeira , uma avançada , novo acerto no volante e outra tentativa de marcha-ré . Putz , não entra nessa vaga ? Vamos tentar de novo. Vamos ajeitar o carro para ver se , dessa vez, vai dar. Recomeça tudo. Para a frente, ajeita o volante e, finalmente , a muito custo, a senhora consegue colocar o carro na vaga. Não foi uma demonstração de habilidade, mas , conseguiu. Até que enfim ! Eu tinha estado, pacientemente, aguardando que ela conseguisse colocar aquele mondrongo na vaga ,para não criar confusão e aumentar a demora. Eu precisava que ela conseguisse colocar o carro na vaga, para passar. Quando o caminho se abriu para mim, engatei uma primeira, levei o carro para a frente e, de ré, coloquei o meu Uno Mille na minha vaga sem a menor dificuldade. À esta altura a senhora ainda não havia saído do carro mas, quando o conseguiu , se endereçou a mim e perguntou: há quanto tempo o Senhor dirige ? Cinqüenta anos bastam ?Respondí-lhe .. Ah... logo vi..Eu só dirijo a 37 anos..foi a justificativa dela...

Não dava para conversar sobre o assunto. Cada um de nós foi para o seu lado e nunca mais nos encontramos em algum pátio de estacionamento !

Sarnelli

15.03.2009


quinta-feira, 12 de março de 2009

DENGUE... - UM PERIGO INVISÍVEL

Este vaso pode se transformar num criatório de mosquitos, se você não tiver cuidado !
------------------------------------


Como todos nós sabemos , estamos em guerra com os mosquitos transmissores do Aedys Egypt , causadores da dengue, que já vitimou milhares de pessoas no Brasil inteiro este ano e até hoje, matou, pelo menos, 17 pessoas na cidade de Itabuna, estado da Bahia . O total de vítimas fatais pode aumentar, pois , hoje, há mais 25 mortes suspeitas e que ainda estão sendo estudadas para verificar-se se são mais vítimas dos mosquitos. Em pleno século XXI , uma simples picada de mosquito está matando dezenas de pessoas !...Os mosquitinhos são perigosos, porque são, na verdade , inimigos invisíveis e podem estar em qualquer canto . São as fêmeas contaminadas que provocam a doença e o perigo maior é que os focos podem estar em qualquer lugar . No prato de uma bela planta dentro de sua casa, numa lata largada displicentemente no quintal, numa garrafa , num pneu abandonado em qualquer local, até numa simples tampinha de refrigerante , num ferro velho, em sucatas de veículos, pode se instalar um foco de reprodução.

Os mosquitos se reproduzem em quaisquer lugar onde haja até uma simples gota de água limpa e parada. Qualquer vasilhame que possa coletar um pouco de água da chuva , um tanque de residência sem tampa , ou mesmo com ela lascada, ou um tanque mal tampado, um tonel com água de chuva, em poças de águas formadas pelas chuvas, enfim , qualquer lugar onde houver água limpa e parada , é um ambiente ideal para a reprodução dos perigosos mosquitos.

O combate , embora seja dever do estado, é obrigação , também , de todos . É meu dever, seu também e de qualquer um , porque o perigo está em todos os cantos e os mosquitos não se incomodam com a classe social das vítimas. Eles picam os pobres , os da classe média e os ricos. O perigo está generalizado. Eles podem vir da casa dos vizinhos .... É preciso estar de olho !

Casas fechadas onde a água se acumule , são um perigo . Todos nós precisamos estar atentos inclusive com os terrenos baldios onde se jogue lixo . Enfim, é preciso que a população se conscientize de que também ela tem que participar, ativa e obrigatoriamente, da cruzada contra o mosquito . Não basta o seu quintal estar limpo e você pensar que está seguro. As áreas no seu entorno estão limpas ? É preciso vigiar e denunciar aos serviços sanitários. Você ainda pode fazer mais : engajar os seus vizinhos na batalha , e toda a sua comunidade .

Os mosquitos são seus inimigos

Ninguém sabe quem será a próxima vítima !

Sarnelli , salvador, 12.03.2009


quarta-feira, 4 de março de 2009

O Mercado Modelo - Lembranças da Bahia

Ainda sobre o Mercado Modelo

Estou voltando a falar do Mercado Modelo. O conhecido hoje e onde os visitantes e turistas fazem compras de artesanato , na verdade, é uma segunda edição . Segunda ? É um segundo Mercado Modelo já que o primeiro , inaugurado em 09.12.1912 foi vítima de diversos incêndios sendo que o último deles , ocorrido em 1969 , fato que eu testemunhei , o destruiu completamente. Como tudo em Salvador, cada um deles tem a sua história .

O Mercado Modelo, o primeiro ( ou segundo ?), na verdade, era e ou foi por muito tempo, o centro de abastecimento da cidade, pois , contrariamente ao que conhecemos hoje, funcionava comercializando secos e molhados e, bem ao seu lado, estava a famosa Rampa onde os saveiros procedentes do recôncavo, trazendo todos os tipos de mercadorias, descarregavam para abastecer a cidade. Dentro dele, você poderia encontrar de tudo que necessitasse para a sua alimentação e da sua família, desde açougues, peixarias, barracas de verduras, feijão, arroz, farinha, pimenta, bebidas, camarões secos, conservas, cachaças, cereais,charque , etc. e até algumas lembrancinhas da Bahia . Era o centro de abastecimento do povo da cidade. Na verdade , ele foi construído para isso mesmo .Havia um setor que até comercializada confecções... Outro , com um belo café ou melhor, pastelaria, como era hábito chamar-se por aqui. A área deixada livre com o incêndio, foi urbanizada e nela foi colocado um monumento em homenagem à cidade, de autoria de um artista baiano . Os bondes das linhas da cidade baixa, passavam pela frente do mercado, parando junto ao Elevador Lacerda. Na verdade circulavam a praça Cayru e havia até um especial , exclusivamente para o transportes de compras mais volumosas. Era o bonde-bagageiro , que recolhia as mercadorias e os seus donos... Boa parte das mercadorias adquiridas no mercado eram transportadas em carroças a tração animal, ou, ainda, por carregadores que colocavam o volume ou um grande balaio sobre a cabeça, apoiado sobre uma rodilha e, a pé, iam entregá-lo em qualquer parte da cidade, subindo e descendo ladeiras , em troca de um preço combinado...

Na rampa , você podia ver uma quantidade infinita de saveiros, encostados, uns nos outros, com os seus mastros apontando para o céu e podia até ter a impressão de estar vendo um enorme paliteiro. Era assim, que o velho Mercado, que o fogo devorou , funcionava . Mas, como as coisas mudam o tempo todo, ele agora pertence à história . Na verdade, me dizem que este foi o segundo, uma vez que o primeiro,teria existido na Rua Chile , num local um pouco longe do atual , mas de muito menor porte, que também foi consumido pelo fogo. Uma coincidência ? Esta história , é provável que faça parte do imaginário popular. Procurei algumas indicações, mas as que encontrei são muito tênues e não dá para afirmar e citar registros com segurança , porém , como a voz do povo é a voz de Deus, podemos dar um certo crédito , uma vez que, onde há fumaça , sempre há fogo . O certo, é que continuarei as minhas buscas ... Teríamos tido , então , 3 Mercados Modelo ? Não dá para afirmar, mas, com certeza, existiu um antes do atual, e todo mundo sabe. O novo Mercado Modelo, que também foi vítima de um incêndio , ficou inativo por um bom espaço de tempo, até ser recuperado e reinaugurado como Centro de comercialização de artesanato e lembranças da Bahia, ficou famoso . Pessoas ilustres já passaram por ele. Chegou mesmo a ser e ainda é, ponto de encontro de intelectuais e até a Rainha da Inglaterra, quando da sua visita a Salvador, esteve por lá.

Dentro dele, funcionam mais de 260 lojas , oferecendo aos visitantes e aos turistas, todos os tipos de artesanatos que a Bahia produz. Esculturas, quadros , pedras semi-preciosas , artigos em tecidos , instrumentos musicais, berimbaus, etc.,etc. . Tem dois restaurantes especializados em comidas da terra e, como não podia deixar de ser, uma boa quantidade de botecos que servem diversos tipos de bebidas e para qualquer finalidade , além de oferecerem tira-gostos . Alguns têm “ especialidades “ – pingas onde são curtidas algumas ervas com propriedades especiais , para resolver qualquer problema. Mas, no fundo, pinga é pinga e vai acompanhada com mariscos, notadamente com lambretas e sururu . Ah..e o caldo de lambretas ? Este é forte e tem certos efeitos, diz a voz do povo. ..

Tanto na praça Cayru como na própria rotunda do mercado, na parte de trás , você poderá apreciar, todos os dias,. demonstrações de capoeira . O mercado tem uma planta quadrada , no fundo, uma rotunda, que servia para a atracação de barcos. O prédio foi construído em 1861 para a instalação da Alfândega de Salvador, que ali esteve por muito tempo.

Quando ele foi recuperado, após o último incêndio, descobriu-se um porão alagado para o qual a imaginação popular tem uma história para contar. Algumas referências mencionam que ele teria servido para a armazenagem de mercadorias que necessitavam de alguma umidade mas que serviu , também , como depósito de escravos enquanto não lhes era dado um destino . Como o porão , que está aberto à visitação pública, está ao nível do mar, está, também , sujeito às suas variações . Assim, conforme a movimentação da maré, o porão tem ocasiões em que está mais ou menos alagado . Diz o imaginário popular que muitos escravos morreram ali mesmo e que, ainda hoje , continuam no lugar. Algumas pessoas até afirmam até que, em determinadas ocasiões, é possível ouvir os lamentos de alguns pobres coitados que ainda continuam por lá...

Sarnelli

05.03.2009

Foto cedida pela Fundação Gregório de Matos

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009

Museu a céu aberto



Debruçado sobre a amurada da praça Municipal, ao lado esquerdo do Elevador Lacerda, olho para baixo em direção à Praça Cayru . Me espanto ao ver quanta coisa está concentrada naquele espaço da Conceição da Praia , um dos mais antigos locais de Salvador. É um museu a céu aberto , na cidade baixa , e quase ninguém percebe !

Aquela área da Conceição da Praia, concentra grande parte da história da cidade . Primeiro, porque toda ela foi recuperada ao mar e segundo porque se olharmos com atenção , casarão por casarão , prédio por prédio , faremos uma viagem no túnel do tempo e veremos o saldo do trabalho dos nossos antepassados e o que deixaram para nós, que as nossas autoridades estão deixando que o tempo, na sua ação lenta e constante, está destruindo . Não são apenas os bens materiais , mas a história que vai se apagando aos poucos. Antes de descer , dou uma olhada em volta: o palácio Rio Branco, com quatro obras do Pasquale , a Câmara dos Vereadores, o prédio da Associação dos Empregados no Comércio e a estátua a Tomé de Souza. Coisas lindas e significativas. Me encaminho para a entrada do Elevador Lacerda , talvez o maior cartão postal da cidade . No local onde deveriam existir dois belos prédios, onde funcionaram a Imprensa Oficial e a Biblioteca Pública, que foram, inexplicavelmente, demolidas, está a sede da Prefeitura , um amontoado de ferros que não combina absolutamente com a bela praça e o seu estilo , ainda pavimentada com paralelepípedos com os trilhos do bonde que parava na porta do elevador, à vista ...É verdade que os dois prédios não atendiam mais às suas funções, mas poderiam ter-lhes dado finalidades sociais ... Que instalassem a Prefeitura em outro local, mais apropriado.

Passo pela catraca livremente, pois tenho direito a transporte público gratuitamente . Faço o trajeto em poucos segundos até a cidade baixa, saindo na Praça Cayru . Vamos ver ? O elevador Lacerda, por si só , saindo do chão da praça Cayru e elevando-se aos seus 72 metros de altura, já é um monumento ! Uma obra arrojada ! Ao meu lado direito, um belo casarão , todo revestido em azulejos portugueses em azul e branco, em fase de recuperação e que será transformado em um hotel de classe. Na minha frente , o atual Mercado Modelo ,que ocupa um casarão onde funcionou a Alfândega , centro de venda de artesanato , curiosidade e visita obrigatória de quem vem à Salvador. De frente para o Mercado, o monumento ao Conde dos Arcos, de autoria do escultor italiano Pasquale De Chirico, inaugurado em 28.11.1934 . Mas não é só isso. No espaço onde existiu o primitivo Mercado Modelo , vítima de diversos incêndios , uma obra do escultor Mario Cravo , mas o destaque na paisagem fica por conta do belo prédio onde funciona Capitania dos Portos do estado da Bahia e Escola de Aprendizes de Marinheiros , bem ao lado da famosa rampa do Mercado modelo , onde atracavam os saveiros que movimentavam a economia baiana em outros tempos. Finalizando, mais um destaque: a igreja de N.Sra. da Conceição da Praia, mandada construir por Tomé de Souza, o fundador da cidade , inicialmente , em taipa e, posteriormente , em blocos de mármores, talhados um por um , em Portugal , e de lá trazidos apenas para serem montados . Durante algum tempo, os restos mortais da Irmã Dulce, o Anjo bom da Bahia, repousou na base de um dos seus altares. Como se tudo isto não bastasse, na paisagem, se insere o Forte de São Marcelo e a antiga estação de embarque de passageiros. O mar que se vê, é o da Baía de Todos os Santos, com as suas mais de 50 ilhas. Se desejar algo mais, fique de costas para o mar e olhe para o alto para ter uma visão panorâmica da cidade dos dois andares.

Salvador , 25.02.2009

Foto de Sarnelli