quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

Coisas da era eletrônica - se a moda pega !

Viajando , a gente sempre vê , ouve uma coisa aqui, outra ali e acolá e acaba trazendo uma historinha para compartilhar com os amigos. Essa eu achei interessante e somente mesmo na época que estamos vivendo, da Internet, é que pode acontecer.

O filho de um industrial , querendo ter maior segurança e controlar, de longe , a movimentação da fábrica , que é de porte razoável , teve a luminosa idéia de se valer dos recursos da eletrônica para controlar o interior dos diversos galpões , bem como a movimentação no exterior. Vale dizer que, já diversas vezes o estabelecimento foi visitado pelos amigos das coisas dos outros e causado alguns estragos...

Assim foi que instalou diversas câmaras em posições estratégicas dentro e fora do estabelecimento, conectadas com dois monitores mantidos em casa, filmando durante 24 horas por dia, o tempo todo...

Hoje dia, por causa de coisas como essa , ninguém tem mais a certeza de que está livre , desimpedido e que tem toda a liberdade que desejava , porque há sempre um olho nos vigiando , além dos dois do leão do imposto de renda. Se você está em São Paulo e faz um comprinha, por menor que seja, a caixa ou o caixa vai logo perguntando: quer nota fiscal paulista ? Se quiser , tem que declarar o CPF e assim o leão acaba sabendo por onde você anda... e vai fazer as contas no seu bolso ! Bem, mas voltando à estória : uma das câmaras controla a movimentação do portão principal por onde tudo passa e, consequentemente, as idas e vindas das pessoas . Uma tarde , o jovem estava dando uma olhada nos monitores quando viu o carro do pai sair. Fim de tarde. Expediente encerrado . Tomou nota da hora e esperou o pai chegar. Foi logo perguntando : onde o senhor foi que levou vinte minutos para chegar em casa ? Você está me monitorando ? respondeu perguntando o industrial. Sem resposta.

A partir daquela data , uma cena estranha começou a ocorrer todas as vezes que o industrial sai da fábrica. Ele olha para um poste e dá uma banana ! Até hoje a vizinhança , intrigada , não sabe porque aquele senhor sério e respeitável procede daquela maneira...

Sarnelli, janeiro de 2012



3 comentários:

Clara disse...

Esta eu adorei! E dei boas risadas!

A perda de privacidade vem sendo cada vez maior, embora a gente saiba que, em alguns casos, ela se faz necessária (até por uma questão de segurança). No entanto, também acaba-se tendo uma vida meio estranha, regulada pelas outras pessoas! O gesto deste senhor, dando uma banana para o poste (ehehehe) mostra bem o quanto a gente se sente saturado(a) de ser monitorado(a) o tempo todo, feito criança!
Valeu, Bartolo!!!!

Beatriz disse...

Esta eu adorei! Dei boas risadas!

A perda de privacidade se torna cada vez maior - embora a gente entenda que , em muitos casos, se faça necessária, por questões de segurança. Mas vai cansando ser monitorado(a) o tempo todo - e mais ainda pelos próprios familiares, quando nos tratam feito crianças!
Para casos assim, somente uma bela banana dada para o "poste". eheheh

Valeu, Bartolo!!!

Anônimo disse...

Realmente, dá no que pensar. Esta é o tipo de estoria que eu gostaria de contar!
Abraço,
Cristiano